Saiba como avaliar se você já tem roupas suficientes

Salvador - BA, Brasil


consumo-consciente
Foto: Cottonbro/Pexel


Por muito tempo acreditamos que para estarmos bem vestidas era preciso ter um armário com muitas roupas e uma infinidade de bolsas e sapatos.

Felizmente, fomos modificando a forma de vestir e descobrimos que menos é mais, desde que saibamos escolher bem as peças que compramos.

Escolher as roupas certas não é tarefa fácil. Comprar exige muito treino, paciência e autoconhecimento, pontos que quando bem alinhados promovem verdadeiros milagres.

Assim, é possível desenvolver o famoso olhar clínico, para comprar exatamente aquilo que vai multiplicar os looks, não só lotar o guarda-roupa.

Uma boa peça é aquela combina com muitas outras e não traz dor de cabeça, parando no fundo do armário. Mas, como saber se já  há essa peças-chave no guarda-roupa e se a quantidade dassas peças é suficiente?

Para ajudar na reposta, montamos um mini guia simples e direto. Porém, é bom ter em mente que é alguns fatores como rotina, estilo de vida e espaço precisam ser considerados.

Respondendo honestamente essas perguntas, você conseguirá um guarda-roupa funcional, com peças suficientes, um armário ideal pro seu estilo de vida e que provavelmente é bem diferente do "guarda-roupa dos sonhos".

1. Tenho mais partes de cima do que de baixo?

Está comprovado que com um número maior de mais partes de cima — blusas, camisas, t-shirts, tops... — é mais fácil para criar looks diversos. Um guarda-roupa deixa ser funcional quando é muito difícil coordenar as peças entre si.

Calças que não combinam com nada, casacos totalmente desconexos com seu estilo ou muitos vestidos de festa para uma vida social nada movimentada são indícios de uma guarda-roupa desfuncional. 

Uma boa proporção é de 30% de partes de baixo (calças, shorts, saias...) e 70% de partes de cima. As peças únicas — vestidos e  macacões, por exemplo — contam como parte de baixo.

É a partir dessa equação que temos a certeza que não falta nada e o que comprarmos será por necessidade real e não apenas da satisfação de desejos infundados.


2. Consigo coordenar todas as minhas peças?

É provável que você já tenha escutado falar que a criatividade surge na adversidade. Quanto menos recursos temos, mais criativas nos tornamos.

Aqui não estamos falando de exceções, mas de regras. É preciso muito treino para montar looks criativos e que, mesmo básicos, tenham a sua assinatura. 

Se você é iniciante nesse quesito, recomendamos que comece pelo básico. Partir da base é sempre mais fácil. Mesmo que a mistura de estampas seja uma alternativa para dar aquele ar moderno e criativo aos looks, conseguir harmonia não é tão fácil quanto parece.

Observe se as peças que você possui coordenam bem. Dá uma boa e demorada olhada nas suas roupas, analisa minunciosamente e retira dali o que não serve mais. O que permanece deve "conversar" amigavelmente, sem conflitos e sempre a seu favor.

Veja bem, não é errado mimar-se com uma peça outra, o problema acontece quando isso vira rotina e acumulamos coisas desnecessárias num impacto em cadeia.

É possível ter um closet enorme e coordená-lo muito bem? Sim, é possível. Mas, saiba que é  raridade. Se precisar de muitas roupas na rotina e ainda não está nesse patamar, acrescente-as gradualmente. Dessa forma, é mais difícil se perder.


3. Tenho itens de qualidade?

Há algum tempo, o conceito de qualidade no lugar de quantidade parecia descabido. Como Deixar de comprar cinco peças para levar apenas uma? Parecia mesmo ilógico, mas bastam algumas lavagens para essa dúvida acabar.

Camisetas de poliéster desbotadas, deformadas e que precisam ser descartadas rapidamente, provam que seria bem melhor ter investido em uma peça com um tecido que não estragasse no primeiro uso.

Vale lembrar que não estamos falando de quem não pode escolher, mas de quem podendo ser seletiva, prefere por contribuir com o consumo inconsciente que impacta muito o planeta.

Nesse ciclo, será necessário comprar cada vez mais. Por outro lado, se as suas roupas são de qualidade, você precisará cada vez menos adicionar mais coisas no armário, suas roupas são suficientes!


4. Visto absolutamente tudo e amo minhas roupas?

Aproveite a tendências, mas só aquelas que combinam com você. Tudo que não tem a ver com o seu estilo ou é desconfortável, vai acabar ficando lá, guardado, sem uso. Evitando essas peças você sempre terá roupas suficientes.

A longo prazo, sempre será uma boa ideia dedicar tempo para escolher peças incríveis. Comprar deliberadamente nunca será uma boa ideia, pois a chance de adquirir algo apenas por impulso e sem uma boa avaliação é enorme.

Pense que aprender sobre tecidos, cortes e modelagens pode ser divertido! Assim como encontrar seu próprio estilo. Esqueças as listas convencionais, os sete estilos universais e outras formas de caixas.

Essas definições só servem para criar um guarda-roupa padronizado, sem expressão e que não funcionará a longo prazo. Misture, experimente, teste, para só então aprovar.


5. Minhas roupas refletem o meu lifestyle?

Tenha em mente que o guarda-roupa perfeito é aquele que concorda com dois estilos: o das suas roupas e o da sua vida. Um guarda-roupa cheio de roupas esportivas não é o que você mais precisa se trabalha em um escritório super formal.

Assim como o contrário. Para que serviria um monte peças formais se trabalha em casa, com um rotina corrida, cuidando das tarefas domésticas, de crianças e tudo mais? Por mais que goste dessas peças, elas não vão se sustentar.


"Meu armário era perfeito para o meu estilo e minha vida de dois anos atrás, quando eu morava na capital e trabalhava o temo todo. Mas, muito aconteceu desde então: mudamos para o interior (para um região de clima mais rigoroso o ano todo) e comecei a trabalhar em casa. Agora tenho um bebê que consome a maior parte do meu tempo e da minha energia. Ainda gosto das minhas roupas antigas, mas elas já não são adequadas ao meu estilo de vida." — Astrid, 36. 


Manter tudo limpo e organizado vai te ajudar a responder essas perguntas mais facilmente, deixando  essa tarefa mais tranquila.

Não tenha pressa, mudar um padrão leva tempo e requer dedicação e disciplina. Por isso, seja gentil consigo. 

Retire tudo para avaliar o que não serve e organizar o que fica, avaliando se você já tem o que precisa para estar bem vestida, confiante e o mais importante: comunicando que você é.

Form for Contact Page (Do not remove)